sexta-feira, 25 de maio de 2018

Uma maneira operacionalmente viável e inteligente de resolver a greve dos caminhoneiros

Vamos partir de uma hipótese simples: a principal demanda dos caminhoneiros pode ser satisfeita com a redução no preço do combustível. Sim, sei que existem outras demandas. Mas vamos assumir que essas outras demandas podem ser financeiramente compensadas pela redução de preço do diesel.

A isenção total de PIS/COFINS sobre o diesel representa um custo anual de R$ 14 bilhões. Além disso, zerar a alíquota da CIDE para o diesel implicaria em outros R$ 2,5 bilhões de perdas. Em resumo, precisamos encontrar R$ 16,5 bilhões para fechar a conta.

OPÇÃO 1:
a) Fim da desoneração sobre a folha de pagamento: economia anual estimada R$ 13,5 bilhões
b) Fim do seguro defeso: economia estimada R$ 3 bilhões
* ambos os programas são constantemente mal avaliados em termos de desempenho. O fim desses dois programas dificilmente gerariam grandes problemas econômico sociais.

OPÇÃO 2:
a) Redução de 50% na desoneração sobre a folha de pagamento: economia estimada R$ 6,75 bilhões.
b) Redução de 50% no seguro defeso: economia anual estimada R$ 1,5 bilhões.
c) Reduzir em 40% os benefícios tributários das entidades sem fins lucrativos: economia R$ 8,4 bi.

OPÇÃO 3:
a) Reduzir em 22% os gastos tributários com o SIMPLES nacional: economia R$ 16,5 bilhões

OPÇÃO 4:
a) Acabar com os benefícios de IR para LCI e LCA: economia estimada R$ 7 bilhões.
b) Reduzir em 25% os benefícios isentos e não-tributáveis do IRPF: economia R$ 7 bilhões.
c) Reduzir em 40% os gastos tributários com desenvolvimento regional: economia R$ 2,5 bi.

OPÇÃO 5:
a) Leia esse excelente documento e proponha você mesmo sua solução.

Opções existem, mas uma coisa deve ficar clara: os benefícios de boas políticas públicas costumam ser difusos (muitos se beneficiam, e cada um se beneficia numa pequena magnitude), mas os custos são concentrados (poucos atores perdem muito). Isso implica que sempre terá alguém reclamando.

Em minha modesta opinião a Opção 1 é a melhor escolha. A desoneração de folha foi um fracasso em termos de geração de empregos, e o seguro defeso é uma mina aparentemente infindável de corrupção e distorções. Trocar esses dois programas por uma redução no preço do óleo diesel (que irá beneficiar toda sociedade) me parece uma escolha óbvia.


terça-feira, 22 de maio de 2018

Boulos e os artistas que o apoiam: Por que artistas gostam tanto de liberdade para eles e Ditadura para os outros?

Um grupo de artistas assinou manifesto apoiando a candidatura de Boulos a presidência da República.

Boulos tem uma entrevista onde mostra sua ideia do que ocorre na Venezuela:

"Tratar a oposição venezuelana como coitadinha é não conhecer o que se passa na Venezuela. A oposição venezuelana apostou na violência política, existem provas, imagens. A oposição venezuelana guardando e armazenando alimentos para aprofundaram a crise social com desabastecimento".

O PSOL, partido de Boulos, já deixou claro em seu site oficial diversas manifestações de apoio a ditadura Venezuelana. Você pode ler uma delas aqui. E aqui a nota de apoio do PSOL em apoio a Nicolas Maduro nas eleições de 2013.

Tenho uma pergunta simples a todos os artistas que apoiam o PSOL, tenho uma pergunta a todos os "intelectuais" que apoiam Boulos: por que vocês gostam da liberdade para vocês e da ditadura para os outros? Por que defendem com tanta dedicação pessoas e partidos que apoiam a ditadura na Venezuela e em Cuba?

Uma última pergunta a esses artistas e "intelectuais": em Cuba homossexuais eram fuzilados; na Venezuela o ditador Maduro já deu diversas declarações homofóbicas. É isso que vocês querem para o Brasil? Esse é o modelo de país para vocês? Cuba e Venezuela são os modelos que vocês admiram? É isso? Querem transformar o Brasil em Cuba ou na Venezuela?

Que liberdade é essa que esses artistas e "intelectuais" defendem? Aparentemente é a liberdade do governo em perseguir o povo, de prender pessoas por opiniões políticas, e fuzilar indivíduos por suas preferências sexuais.

Não deixa de ser irônico notar que esses artistas e "intelectuais" seriam os primeiros a serem perseguidos caso o regime que eles apoiam triunfasse no Brasil.




segunda-feira, 21 de maio de 2018

A FRAUDE nas eleiçoes na Venezuela, FORA Maduro, Fora Ditadura!

O ditador da Venezuela, Nicolas Maduro, aplicou mais um golpe eleitoral na Venezuela. As eleições venezuelanas foram uma FRAUDE!

O PT e o PSOL apoiam a ditadura na Venezuela! Vergonha! Vários brasileiros andaram apoiando a ditadura de Hugo Chavez e Nicolas Maduro, já se desculparam??? Cobre deles!!!

Não existem meias palavras aqui!!! O que existe na Venezuela é uma ditadura que frauda eleições para tentar se legitimar. O Brasil precisa denunciar MAIS ESSA fraude eleitoral.

Digo mais: está na hora de começarmos a pensar seriamente em maneiras de ajudar a libertar o povo venezuelano desse tirano.

sábado, 19 de maio de 2018

O que aconteceu com a taxa de câmbio?

Nos últimos trinta dias a taxa de câmbio saltou de R$ 3,41 (em 20/04/2018) para R$ 3,75 (em 18/05/2018), uma valorização de 9,1% em apenas um mês. Qual a origem dessa valorização?

Responder questões referentes a variações cambiais de curto prazo nunca é tarefa fácil, e é bom o leitor saber que existe uma boa chance de eu estar errado nessa análise.

Li alguns colegas, muito bem qualificados, atribuindo a variação cambial a um erro de comunicação do Banco Central. Segundo eles, a última ata do COPOM não estava tão clara quanto outras, e atribuíam certa dose de culpa a uma entrevista recente do presidente do BACEN (onde ele teria sido infeliz em alguns comentários).

Com o devido respeito discordo de meus colegas, acho que a recente valorização do dólar tem pouco a ver com erros de comunicação, e mais a ver com um pequeno deslize no gerenciamento da política monetária. Tal como afirmei em 09 de fevereiro em minha página do facebook:

"Apenas para registro: a equipe do Banco Central está fazendo um trabalho excelente. Dito isso, confesso que achei equivocada a decisão de reduzir a taxa de juros para 6,75%. O ambiente fiscal interno está péssimo, os riscos eleitorais são altos com candidatos à presidência e a governador prometendo aumentar os gastos públicos. Por fim, o risco externo de aumento da taxa de juros internacional é bem real".

Em outras palavras, me manifestava favorável a manutenção da taxa de juros em 7%. Diga-se de passagem, meu querido amigo Roberto Ellery fez alertas similares. Após esse episódio, em 21 de março, o BACEN reduziria novamente a taxa de juros para 6,5% ao ano. Novamente, em minha opinião, uma decisão equivocada.

Creio que foi essa redução equivocada nos juros a razão principal por trás da valorização cambial recente. Nossa economia está numa situação delicada, prudência é fundamental. Mas, ressalto uma vez mais, a equipe atual do Banco Central faz um belo trabalho e tem meu apoio. Além disso, lembro a todos que quem pode estar errado sou eu, prudência na análise aqui é fundamental.

Para finalizar, lembro uma vez mais que a taxa de câmbio é um preço. Logo, me parece equivocado tentar intervir em sua variação, creio que o mais acertado aqui é deixar o câmbio flutuar.






sexta-feira, 18 de maio de 2018

domingo, 13 de maio de 2018

Uma Simples Homenagem as Mães: "Não existe essa coisa de dinheiro público".

Fui pobre, e nessa época foi minha mãe quem cuidava da casa, de meu pai que tinha tido um derrame e de todos nós. Tal como minha mãe salvou minha família, várias outras mães pelo mundo fazem o mesmo diariamente. Cuidam da casa, cuidam da família, cuidam dos negócios, mantém nossa paz a custa de suas preocupações e sacrifícios.

Elas acordam antes de nós, e são as últimas a dormir. Sorriem para nos encorajar mesmo quando estão assustadas por dentro, nos dão força e coragem para seguir em frente. Mãe é a base de nossa sociedade, sem elas não existe o mundo tal qual o conhecemos.

Você mamãe que acordou hoje, saiba que nós devemos nossa vida a vocês. Triste que vários colégios tenham optado por parar de celebrar o dia das mães, vocês merecem todo nosso respeito e admiração.

Quando era pobre minha mãe acordava as 6:00 da manhã e só ia deitar depois das 23:00 horas, trabalho pesado para deixar a família a salvo. Rotina repetida diariamente por mães espalhadas por todo nosso planeta, mães que colocam os outras a sua frente: os filhos, o marido, o sobrinho, os amigos, tudo para nos ajudar e alegrar.

Numa época difícil minha mãe, tal como outras mães sabem, economizava o ano inteiro para termos dinheiro para pagar o IPTU e não perdermos nossa casa. Chegar ao final do ano com dinheiro suficiente para pagar o IPTU é uma das lembranças mais vivas que tenho desse período. Quantas mães não sofrem hoje com o mesmo problema? Quantas mães não vão dormir aflitas porque não há dinheiro para a comida ou para pagar pela moradia? Só elas sabem a tristeza e medo que carregam, mas carregam esse fardo com dignidade, e amor.

Faço questão de lembrar aqui a frase de uma grande mulher: "Não existe essa coisa de dinheiro público" (Margaret Thatcher). Thatcher sabia, como toda boa mãe sabe, que quem cuida melhor de seu próprio dinheiro é ela mesma. Cada centavo a mais na mão do Estado é um centavo a menos no bolso da mãe, centavos esses que as mães sabem quanta falta fazem na hora de ir a feira ou ao supermercado.

Meu muito obrigado a Dona Madalena, minha mãe. E um feliz dia das mães a todas as mães, obrigado por todo sacrifício que vocês fizeram para que nós pudéssemos aqui chegar.

sábado, 12 de maio de 2018

Considerações sobre o secreto documento da CIA sobre a ordem de matar da Ditadura Brasileira

Começo o texto com uma observação simples: toda ditadura é um regime de imposição, algumas mais outras menos. Por óbvio ditaduras não respeitam princípios básicos da liberdade individual.

Nessa semana ficamos chocados com a revelação de um relatório secreto da CIA. No relatório afirma-se que Geisel e Figueiredo, dois presidentes militares, estavam diretamente envolvidos em execuções sumárias e ilegais. Sobre o documento da CIA vale a pena a leitura do excelente texto de Reinaldo Azevedo.

Minhas considerações:

1) Não tenho dúvidas alguma de que o regime ditatorial no Brasil cometeu excessos e executou pessoas. Isso vale para a ditadura Vargas como vale para a ditadura militar. Afinal, essa é a essência básica de qualquer regime ditatorial: a imposição pela força ao arrepio da lei e do estado de direito.

2) Tenho dúvidas da autenticidade desse documento. Estou curioso para saber sobre suas fontes de informação: foram escutas clandestinas? Informantes que repassaram o teor de reuniões fechadas? Confesso que gostaria de saber como a CIA teve acesso a essas informações. Atenção: creio que a CIA tinha sim meios de obter informações secretas. Afinal, o livro 1964: O Elo Perdido, o Brasil nos Arquivos do Serviço Secreto Comunista deixa claro como o serviço de inteligência da pequena Tchecoslováquia era atuante no Brasil. Se um país pequeno conseguia isso tudo, para o lado dos países comunistas, me parece óbvio que a CIA também pudesse conseguir. Mesmo assim gostaria de ter mais detalhes sobre a elaboração desse relatório da CIA.

3) Especificamente sobre a ditadura Vargas: tenho pouco conhecimento, mas me parece ter sido um regime claro de tendências fascistas.

4) Sobre a ditadura militar: os militares brasileiros enfrentaram grupos terroristas que queriam impor ao Brasil uma ditadura comunista nos moldes cubano, soviético ou chinês. Por óbvio que não se enfrenta movimentos desse tipo sem uso da força bruta. Cabe ressaltar que alguns desses grupos terroristas já estavam em formação ANTES do golpe militar de 1964.

Vamos agora para considerações pessoais, e aqui deixo claro que talvez eu esteja errado.

5) O uso da força bruta contra grupos terroristas é mais do que justificado, e eu apoio o combate duro a tais grupos. Mas tal combate deve ser feito dentro dos limites legais. Executar uma pessoa presa sob custódia do Estado me parece inaceitável.

6) É fácil falar besteira enquanto tomo meu café na segurança de minha casa. Mas e se eu fosse Geisel? O que teria dito? Deus queira que nesse momento eu tivesse tomado a decisão correta. Mas e se Geisel tomou a decisão correta?

7) Sei que parece bobeira, mas quero compartilhar uma frase de Jack Bauer no seriado 24 horas. Havia uma bomba nuclear no centro de Los Angeles, até onde você iria para evitar que essa bomba explodisse? Jack Bauer tortura um terrorista para descobrir onde estava a bomba, e enquanto o tortura repete a frase: "Eu te odeio por me obrigar a fazer isso". Já imaginaram que coisa horrível? Ser obrigado a fazer coisas horrorosas, corromper sua alma, para conseguir salvar a vida de milhares de inocentes?  Sei que estou usando um exemplo ruim. Afinal, não existia tal risco no Brasil em 1974. Mas a simples existência de movimentos armados (que executavam pessoas ao arrepio da lei) mostra que algum risco havia. Será que tal risco justificava tais ações? Do conforto do meu sofá respondo: creio que não. Creio que o movimento terrorista armado, de guerrilha e revolucionário, não apresentava riscos suficientes que autorizassem tais medidas.

Essas são minhas divagações. A verdade é que existe uma grande área cinza em alguns momentos de nossa vida. Nesses momentos só nos resta orar, refletir muito, estudar muito, trabalhar muito, ser honesto, e pedir a Deus para tomarmos a decisão correta.




Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email